Polêmica no Judô

O jornal Extra, do Rio de Janeiro, publicou neste domingo em seu caderno de esportes “Jogo Extra”, uma matéria sobre a polêmica envolvendo acidentes sofridos por crianças durante a prática do judô. Segundo a reportagem, da correspondente em Tóquio Claudia Sarmento, Taichi, um adolescente de 15 anos, ficou  com sequelas permantentes em decorrência de golpes desferidos por seu professor, em 2004.

Isso traz à tona um debate importante: a prática de artes marciais e seus treinamentos são violentos? Ou acidentes com lesões são comuns em qualquer atividade desportiva, principalmente estas que envolvem contato? Você considera normal que fatos como este ocorram? E você, leitor, o que acha desse assunto? Dê sua opinião.

Confira abaixo a reportagem completa de Claudia Sarmento:

Susto no tatame
Mortes e lesões de crianças levantam debate no Japão

O judô vive dias de tensão no Japão. Que o diga a família Kobayashi. Durante uma aula de judô numa escola de Yokohama, Taichi, de 15 anos, foi sufocado pelo professor e atirado ao chão violentamente duas vezes. O menino teve hemorragia cerebral e lesões na cabeça que o deixaram com sequelas permanentes.

O fato ocorreu em dezembro de 2004. Suas chances de sobrevivência eram mínimas, mas Taichi conseguiu. No Japão, quatro crianças por ano, em média, morrem em consequência de incidentes sofridos durante a prática do judô, número que provoca um debate no país.

– O primeiro passoé a transparência na divulgação dos casos. As escolas abafam e as pessoas têm medo de prestar depoimento – diz Yasuhiko Kobayashi, pai de Taichi e um dos membros da Associação Japonesa das Vítimas de Acidentes no Judô (JJAVA, na sigla em inglês).

Os pais de Taichi têm uma lista assustadora feita pelo professor da Universidade de Educação de Aichi, Ryo Uchida. Ele levantou junto às escolas registros de mortes ocorridas entre 1983 e 2009: são 110 óbitos. Um gráfico manalisa os casos entre 1999 e 2008 e compara o judô a outros esportes, mostrando que só o rugby teve mais acidentes. Em 2010, foram seis mortes. Mas as investigações concluíram que foi o caso de Taichi um acidente que poderia ocorrer com qualquer esportista.

– O que queremos é que o Japão chegue ao patamar de outros países, onde nenhuma criança morre por lutar judô – resume Keiko, mãe de Taichi.

No Brasil
O presidente da Confederação Brasileira de Judô, Paulo Vanderlei, contesta o argumento dos pais japoneses e garante que, nas últimas décadas, jamais teve qualquer informação oficial ou ouviu qualquer comentário sobre morte de criança em aulas de judô

Esperamos seu comentário, para enriquecer nosso debate.

Explore posts in the same categories: Judô

Tags:

You can comment below, or link to this permanent URL from your own site.

2 Comentários em “Polêmica no Judô”

  1. Rodrigo Says:

    Como qualquer outra atividade que exija contato, o praticante de judô está sim, sujeito a qualquer acidente.
    Mas, diante do relato: “Taichi, de 15 anos, foi sufocado pelo professor e atirado ao chão violentamente duas vezes.” Está clara a violência, talvez desnecessária do professor com o aluno.
    Agora, se já existe, a Associação Japonesa das Vítimas de Acidentes no Judô, é porque realmente o método de ensino tem que ser analisado de perto por autoridades.


    • Certamente, Rodrigo, o fato de já existir uma associação prestando atenção nesses acidentes deve significar algo. Como praticante de artes marciais, não considero violento o ensino, mas é certo que pela descrição no início da reportagem, o método do professor precisa ser analisado de perto.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: